Home Artigos Preparação e concentração: o caminho de Cocuzzi até a medalha de bronze

Preparação e concentração: o caminho de Cocuzzi até a medalha de bronze

33
0
COMPARTILHAR
Luiz Henrique Cocuzzi sobe ao pódio no Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike
Luiz Henrique Cocuzzi sobe ao pódio no Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike
Curta nossa página no Facebook

Atleta Scott Luiz Henrique Cocuzzi conta detalhes da viagem, preparação até a subida no pódio do Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike, na Colômbia

A Seleção Brasileira de Moutain Bike voltou do Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike, que aconteceu no último final de semana, na Colômbia, com 11 medalhas. Uma delas no peito de Luiz Henrique Cocuzzi, a primeira do atleta Scott na categoria Elite da competição. Antes, ele havia conquistado uma prata e um bronze Sub-23.

Já e de volta ao Lar Nossa Senhora à sua rotina de treinamentos, Cocuzzi contou como foi a experiência de encarar um desafio na altitude de outro país, ao lado dos principais ciclistas das Américas e – no final – subir ao pódio com apenas 23 anos. Qual a expectativa para as próximas provas? Ele mesmo conta a seguir:

– Como foi a viagem e a adaptação para essa prova? Fez algo de diferente?

 Luiz Henrique Cocuzzi: Dessa vez, eu viajei para a Colômbia cerca de duas semanas antes da prova. Sendo uma disputa na altitude, pensamos que seria uma boa fazer uma boa adaptação no local poderia fazer toda diferença. E realmente fez. Nos hospedamos junto com outros atletas numa casa perto de onde aconteceu a prova. Pude treinar bastante na pista, fazer minha própria comida, descansar e me alimentar nos horários certos. Quando você é atleta e está num país que não é o seu, é preciso tomar muito cuidado com a comida e a rotina, né? No dia a dia, a gente respirava bicicleta. Treinava de manhã e à tarde fazia massagem ou passeava pela cidade de bike visitando as lojas. O assunto era sempre ciclismo.

– Como foi a preparação em relação à prova e com a altitude?

Luiz Henrique Cocuzzi: Essa estratégia de adaptação surtiu efeito. Não tive nenhum problema com a altitude e logo já estava familiarizado com a pista. Ficar com outros atletas foi bom para descontrair e tirar um pouco o peso da prova. Fiquei mais focado mesmo uns dois dias antes. Nesse período tentei conversar bastante com a minha família, sempre tranquilo, já pensando no que fazer, onde fazer e quando fazer. Conhecer a pista fez uma grande diferença. Já tinha tudo planejado na minha cabeça e na corrida só deixei acontecer.

– Qual é a importância de escolher a bike certa para esse tipo de disputa?

Luiz Henrique Cocuzzi: Eu pedalo a Scott Spark 900 RC Pro, uma bicicleta excelente. A melhor que já pedalei em minha vida. Boa na subida, ótima na descida. Contar com uma bike de qualidade ajuda muito no rendimento e na performance do atleta. Durante a prova, a bicicleta e o ciclista são um só. Se um não rende, vai interferir no desempenho do outro. Com a Spark eu me sinto seguro e posso me preocupar com o importante: o físico e a performance durante a prova. Para mim, a Spark é insubstituível.

Scott Scale RC 900 Pro 2017, a bicicleta de Luiz Henrique Cocuzzi
Scott Scale RC 900 Pro 2017, a bicicleta de Luiz Henrique Cocuzzi

– Conte um pouco de como foi a prova? O que você pensou naquele momento?

Luiz Henrique Cocuzzi: Mesmo com tudo em mente, acontecem vários imprevistos, você precisa mudar a estratégia por causa de alguma coisa ali na hora, mas no geral o que você pensou, você coloca em prática. Antes eu penso bastante no que vou fazer, ouvindo música e arrumando meu equipamento, mas depois quando estou na largada, eu desligo e vou no automático. Quanto mais preparado estiver, melhor.

– E como era a sensação ao cruzar na linha de chegada? Explica pra gente.

Luiz Henrique Cocuzzi: Não tem como descrever. Quando vem chegando os últimos 100 metros e o atleta sabe que vai conquistar uma medalha e subir ao pódio, passam 1 milhão de coisas pela minha cabeça. Fico feliz por ter conseguido fazer tudo certo, fico emocionado pensando na minha família, etc. A sensação é incrível.

– O que podemos esperar de Luiz Henrique Cocuzzi para as próximas provas?

Luiz Henrique Cocuzzi: Ainda não cheguei no meu auge nessa temporada, mas estou perto. Tenho muito o que treinar e evoluir para provas ainda mais importantes. Ainda tenho que atingir meu pico de performance e ver até onde consigo chegar. Eu espero ir além nessa temporada. Vou continuar trabalhando para evoluir cada vez mais.

Fonte 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here