Home Notícias Acidentes Ciclista Ina Ostrom foi atropelada por motorista que ultrapassou pelo acostamento

Ciclista Ina Ostrom foi atropelada por motorista que ultrapassou pelo acostamento

199
0
COMPARTILHAR
Curta nossa página no Facebook

A ciclista e triatleta amadora Ina Ostrom, 27 anos, foi atropelada na manhã de domingo, 25, na SC-401, em Florianópolis e o caso continua sem investigação.

A ocorrência foi registrada na 5ª DP, a unidade de plantão da Capital, mas será encaminhada para a 7ª DP, em Canasvieiras, responsável pela região onde ocorreu a colisão.

Tudo isso deveria ter acontecido ianda na segunda-feira (26), mas até o presente momento o caso continua parado.

A 5ª DP afirma que já mandou o registro, mas a 7ª DP ainda não o recebeu. O motorista que atingiu Ina fugiu do local.

Motorista foge após atropelar ciclista na SC-401, em Florianópolis

Os pais do jovem, de 20 anos, procuraram a família da atleta na segunda-feira e foram até o Hospital Celso Ramos, onde Ina Ostrom está internada sem previsão de alta.

Segundo uma testemunha, logo depois de saírem de uma festa que ocorreu em Jurerê, um carro em alta velocidade passou por eles pelo acostamento e quase bateu no veículo em que ela e amigos estavam.

— Ele ultrapassou pelo acostamento, estava em alta velocidade. Em seguida vimos na frente que um corpo saltou por quatro ou cinco metros de altura, saiu rodando no ar e caiu num terreno do lado — relata.

— Achávamos que ela tinha morrido, também por isso não paramos. E vimos que logo alguns carros pararam. Foi um impacto imenso.

A testemunha também afastou a versão dada pelos pais de que o motorista dormiu ao volante e por isso atropelou a triatleta.

A mãe de Ina postou um desabafo na sua página pessoal no Facebook nesta segunda-feira. Yara Guasque escreveu que a filha teve traumatismo craniano, fratura do osso do rosto e suspeita de rompimento do ligamento do joelho. Disse ainda que Ina está bem, mas não sabe ainda se será necessária uma intervenção cirúrgica.

— Também meus sentimentos são de raiva, de vergonha, de nojo, de repulsa, de indignação. Acho que a sociedade tem de se responsabilizar pela violência e desrespeito à vida, aos seres e suas famílias sanguínea e afetivas.

A advogada da família de Ina, Jucélia Corrêa, disse na tarde desta terça-feira que os familiares do motorista entraram em contato para se colocar à disposição para prestar a assistência necessária à triatleta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here